2008/1

Janeiro > Abril 2008

Nesta edição:

Espaço público em um mundo privado

Até que ponto é válido discutir a utilização de espaços públicos para a dança contemporânea? No primeiro texto da rede Ciudades Que Danzan que o idança publica, a questão está lançada. Entre e deixe sua opinião.

O Anarquitetônico 1

Em seu texto, Paulo Azevedo reflete sobre as novas dimensões estéticas e artísticas dos espaços urbanos.

Balé de Rua no coração de Paris

Márcia Almeida parte da reação dos franceses à apresentação da Cia. Balé de Rua em Paris para discutir a identidade nacional na dança brasileira

O caminho da informação ao alcance de todos

No rastro do recém-lançado site sobre a vida e a obra de Klauss Vianna, o Idança publica reportagem sobre os principais acervos de dança ativos no Brasil e ressalta a necessidade do surgimento de outros.

Lost in dance 3: na(s) fronteira(s)

O colunista Airton Tomazzoni continua a série de textos Lost in dance propondo uma reflexão sobre como enfrentar as fronteiras da dança.

Carta aberta: a dança discutida à distância

De uma troca de cartas entre duas amigas, nasce uma série de questionamentos sobre mercantilização do conhecimento, efemeridade da dança e valorização da cultura brasileira. Leia e participe da discussão.

Umberto da Silva: um pioneiro na dança

O Idança presta uma homenagem ao bailarino e coreógrafo Umberto da Silva, morto na quinta-feira (27/03). Leia depoimentos de amigos e família na reportagem que traz ainda fatos importantes da sua carreira.

Do butô à “Conquista da Galáxia”

No ano do centenário da imigração japonesa no Brasil, o Idança aproveita a deixa e publica uma uma viagem pela evolução da dança japonesa através dos tempos.

Em busca da autonomia

O coletivo O 12 nasceu da dissidência de integrantes do projeto Quadra Pessoas e Idéias, de São Paulo. A ruptura se formaliza com a distribuição, na Internet, de um manifesto louvando a autonomia. Saiba mais sobre os dois lados da questão e comente.

A pedra de cada um

Maíra Spanghero faz um raio-X do trabalho de novos artistas do Sul do Brasil, ressaltando o coletivo Couve-Flor, que vem dando o que falar em Curitiba.

Companhias estáveis em lados opostos

Em meio à polêmica sobre a criação da São Paulo Cia. de Dança, o Idança conversou com diretores de outras companhias estáveis e publica reportagem mostrando as diferentes opiniões a respeito dos investimentos no novo grupo oficial.

2007: Balanço positivo para a dança no Brasil

Paulo Paixão faz um balanço do que foi apresentado de melhor nos palcos brasileiros em 2007, além de ressaltar as iniciativas mais bem-sucedidas de incentivo à dança durante o ano.

Lost in dance 2: Dançando com a mídia

Em seu texto, o colunista Airton Tomazzoni passeia por referências da cultura pop para analisar a atual relação entre dança e mídia

O crítico como xamã

O colunista Marcello Castilho usa a figura do sacerdote das tribos indígenas para questionar qual é a verdadeira função dos críticos de arte.

[Descompêndio] O teatro como não-lugar

Em seu novo texto, o colunista Tiago Bartolomeu Costa discute o papel do teatro como provocador de encontros inesperados e ponto de partida para reflexões.

Polêmica cerca São Paulo Cia. de Dança

O Idança entra na polêmica sobre a criação da São Paulo Cia. de Dança e publica o texto do coreógrafo paulista Sandro Borelli criticando a nova companhia. A discussão segue com texto enviado pelas diretoras da companhia e pelo secretário de Cultura do Estado de São Paulo, João Sayad.

Para ficar mais perto

A colunista Christianne Galdino faz uma análise do ineditismo no trabalho “Dança Contemporânea em Domicílo”, da bailarina Cláudia Müller

[Descompêndio] O medo que temos do corpo

No texto de estréia da sua coluna no Idança, Tiago Bartolomeu Costa analisa as mudanças na percepção de espetáculos de dança por parte do público

Movimento feito de livros

João Queiroz e Daniella Aguiar apontam as dificuldades semânticas na adaptação de textos literários para a linguagem da dança

Dança de papel

A formalização do pensamento acadêmico e a quantidade cada vez maior de trabalhos na área de dança são os tema discutidos por Liana Gesteira.