Dois corpos que caem

Aguinaldo Bueno e Osmar Zampieri – Aqui se evoca a urgência em perceber o tempo passado e viver o presente. A intimidade do trabalho compartilhado e em outro momento a distância, provocam o desenvolvimento do processo coreográfico e nos corpo uma alquimia de cruzamentos e divergências: um território comum, ele ainda é possível?