E quando não se têm asas? | E quando não se têm asas?

Asas Partidas é peça coreográfica onde se entrelaçam o novelesco e o lírico, através de um narrador encarregado de revelar o avesso da própria imagem e, conseqüentemente, o avesso da imagem da família. Em cena, um ator, uma bailarina e um violinista, dramatizam suas respectivas linguagens.
Livremente inspirado no romance Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar, Asas Partidas nasceu e tomou corpo no desejo da coreógrafa Ana Andréa em expor o universo opressivo onde a mulher foi inserida ao longo da história. As fontes de estudo e pesquisa se estendem por textos diversos, do poeta libanês Gibran Khalil a Nélida Piñon, passando pelos grandes romances trágicos da literatura mundial, reportagens, filmes e foto-documentos.
Estréia dia 5 de maio, às 20h (quintas e sábados) e 19h aos domingos, no Teatro Cacilda Becker no Rio de Janeiro. Reservas pelo telefone: (21) 9712-7923.
Asas Partidas é peça coreográfica onde se entrelaçam o novelesco e o lírico, através de um narrador encarregado de revelar o avesso da própria imagem e, conseqüentemente, o avesso da imagem da família. Em cena, um ator, uma bailarina e um violinista, dramatizam suas respectivas linguagens.
Livremente inspirado no romance Lavoura Arcaica, de Raduan Nassar, Asas Partidas nasceu e tomou corpo no desejo da coreógrafa Ana Andréa em expor o universo opressivo onde a mulher foi inserida ao longo da história. As fontes de estudo e pesquisa se estendem por textos diversos, do poeta libanês Gibran Khalil a Nélida Piñon, passando pelos grandes romances trágicos da literatura mundial, reportagens, filmes e foto-documentos.
Estréia dia 5 de maio, às 20h (quintas e sábados) e 19h aos domingos, no Teatro Cacilda Becker no Rio de Janeiro. Reservas pelo telefone: (21) 9712-7923.