Grito Verde em turnê pelo Brasil até dezembro

O_grito_verde Os corpos se movem sobre um grande tapete verde e a alma é a representação da natureza se deixando acalentar nos braços de Gaia, buscando preservar a memória das grandes florestas findas. E a esse emaranhado de movimentos, formas, cores, sensações e inspirações deu-se o nome de Grito Verde, espetáculo contemporâneo da Cia de Dança do Amazonas (CDA), que participa do projeto Palco Giratório, com apresentações diversas cidades brasileiras.

O Palco Giratório é um programa do SESC que mobiliza recursos e infra-estrutura profissionais, objetivando criar oportunidades de circulação de espetáculos de artes cênicas pelas regiões Norte, Nordeste, Sul e Centro-Oeste do Brasil. Vinte artistas, sendo 19 bailarinos, viajam com o grupo para a montagem da cênica que estreou em 2004. Ano passado, Grito Verde foi apresentado em São Paulo e na França.

A Cia de Dança do Amazonas fará 16 apresentações até dezembro, um intercâmbio, quatro oficinas e uma mesa redonda, chamada de Pensamentos Giratórios. A companhia passa por Florianópolis (28 a 30 de setembro), Fortaleza (30 de setembro a 3 de outubro), João Pessoa e Campina Grande (3 a 6 de outubro), Salvador e Feira de Santana (6 a 10 de outubro), Cuiabá e Poconé (10 a 19 de outubro), Macapá (19 a 21 de outubro), São Paulo (21 a 23 de outubro) e Rio de Janeiro (4 a 6 de dezembro).

O espetáculo de dança contemporâneo foi desenvolvido a partir de leituras e pesquisas, transpondo para o movimento a essência da poesia de Antônio Tavernard, A Voz da Amazônia. A coreografia de Ivonice Satie esmiúça o amazônida e sua relação com a natureza. A direção artística é de Monique Andrade e Getúlio Lima, a cenografia e adereços são de Jander Lemos e os figurinos de Paulo Rojas.