Still – sob o estado das coisas estréia em São Paulo

Still – sob o estado das coisas convida os espectadores a mergulhar em diferentes registros de presença que podem se estabelecer entre as duas esferas de uma cena: a do performer e a daquele que o vê. Inspirados inicialmente no universo da still life (natureza morta), onde objetos da vida cotidiana são retratados na ausência do homem, os criadores foram atraídos pelo tipo de presença humana suscitada por esses rastros, “uma espécie de vida em suspensão”.

Still propõe, dentro de um contexto imersivo, uma nova convivialidade, para provocar e fazer refletir sobre as diversas camadas de presente e presença a que estamos submetidos diariamente e a todo instante na época contemporânea.

Gustavo Ciríaco, em continuidade ao diálogo já estabelecido com as artes plásticas em peças anteriores, traz para a pesquisa coreográfica o uso de procedimentos caros à sua atualização nas artes visuais, em particular na vídeo-arte. 

Adotando procedimentos como o loop (repetição contínua do mesmo take), a montagem paralela e a edição, Still – sob o estado das coisas cria, com uma cena habitada tanto por imagens e textos quanto por corpos reais e virtuais, um ambiente imersivo e sinestésico que envolve o espectador no mesmo espaço e tempo que o do performer.

A obra, que estréia dia 28 de abril, às 19h, no SESC Av. Paulista, é um projeto multimídia a partir da colaboração artística entre o coreógrafo Gustavo Ciríaco, a cenógrafa norueguesa Anniken Romuld e os bailarinos Francini Barros, Ignácio Aldunate e Milena Codeço. A luz tem a assinatura de José Geraldo Furtado e a realização executiva é da Fomenta Produções.

A temporada vai até o dia 20 de maio. Mais informações em www.sescsp.org.br.